Make your own free website on Tripod.com
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

PROFECIAS BÍBLICAS

          ÍNDICE

1 - Daniel e a Predição da História Mundial Daniel 2:16-28

2 - As Quatro Bestas e os Impérios Mundiais Daniel 7:1-10

3 - A Besta de Apoc 13 e a Guerra aos Santos Apoc 13:1-9

4 - O Trono de Davi e o Messias                     Salmo 89:28-37

5 - A Restauração de Israel                             Eze 37:1-14

6 - A Grande Batalha do Armagedom                 Zac 12:1-10

7 - O Reino Milenar Messiânico                     Isa 11:1-12

8 - Detalhes do Reino Milenar Messiânico      Isa 65:17-25

9 - Tempo de Recompensa dos Santos Luc 19:11-27

10 - A Igreja de DEUS na Profecia                       Apoc 12:1-17

11 - A Parábola do Trigo e do Joio                       Mat 13:24-30

12 - Como Será a Vinda do Senhor o Messias          Mat 25:15-35

13 - A Vinda de o Messias e o Anticristo                          II Tes 2:1-12

14 - As Setenta Semanas de Daniel     Dan 9:16-27

15 - Os 144 Mil e a Grande Multidão       Apoc 7:1-10

16 - Quem Será Levado e Quem Será Deixado? Mat 24:36-44

17 - Os Justos vão Realmente Morar no Céu?                            Apoc 21:1-8

18 - Jerusalém: A Cidade do Grande REI Salmo 48

19 - A Situação da Terra no Milênio                      Isa 11:1-10

20 - Redenção Completa na Cruz                          Heb 10:1-14

21 - Como é a Prisão de satanás?                     Apoc 20:1-10

22 - Haverá Mesmo um Juízo Investigativo? Apoc 20:7-15

23 - Discernindo Profetas e Profecias    Eze 13:1-9

24 - Promessas aos Gentios                           Gal 3:16-20

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Curso de Investigação Bíblica Interdenominacional

Verso Áureo: "Porque não me envergonho do Evangelho de Cristo, pois é o poder do ETERNO para salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, e também do grego." (Ro 1:16).

15 - Os 144 Mil e a Grande Multidão
 

INTRODUÇÃO DA LIÇÃO

Vimos no estudo anterior que, a princípio, a salvação foi pregada com exclusividade ao povo judeu. (Jo 1:31; Mt 15:24; 10:5, 6) e mesmo após a morte do Messias, o evangelho segui por mais três anos e meio sendo pregado aos judeus, completando assim as 70 semanas... Depois disto, abriu-se espaço aos gentios.

Na verdade, a este povo foi dado o privilégio de representar a o ETERNO e Seu reino e levar a luz, o conhecimento da verdade a todas as nações. Israel falhou e o Senhor passou a outro povo esta missão, até um tempo determinado. (Ro 11:25)

Quanto aos 144 mil, algumas correntes religiosas afirmam que este número de escolhidos também envolve os gentios convertidos; outras dizem que o período de assinalamento ainda é futuro. Qual é a verdade a respeito?

 

QUESTIONÁRIO

1. Como tem sido definido os 144 mil, pelos dispensacionalistas e pelos defensores da Torre de Vigia?

Acreditando que o anticristo assumirá o comando do governo do planeta, após um suposto rapto secreto da Igreja e a retirada do Espírito Santo, os dispensacionalistas afirmam que se levantarão os 144 mil, dentre os israelitas naturais e que estes se tornarão poderosos pregadores e haverá um trabalho de evangelismo como nunca houve antes.

Já a Torre de Vigia, defende que os 144 mil,  pequeno rebanho ou congregação-igreja do ETERNO, é uma classe de pessoas cujo assinalamento começou no Pentecostes, mas que ainda hoje existem alguns lugares disponíveis. Parte desta elite já está no Céu, de onde, governa os súditos, a grande multidão, que ficou na Terra.

Ensina que a vinda ou presença de o Messias já é real desde 1914, época em que começou a reinar desde os céus quando teria ocorrido a ressurreição espiritual ou celestial dos 144 mil selados. Os que vão morrendo, ressuscitam espiritualmente e vão imediatamente ao Céu, juntar-se aos demais. (Estudo Perspicaz das Escrituras, vol 3, Págs. 432,433).

 

2. Biblicamente, qual era a situação do povo gentio, em relação a o ETERNO e Seu povo, Israel?

Os gentios estavam separados do povo do ETERNO (Ef 2:11-14). Eram considerados imundos e não havia um bom relacionamento com os judeus (At 10: 28; 11: 3,18; Jo 18: 28; Mt 8: 8,10).

De Israel era tudo: os oráculos divinos (as Escrituras), o culto, os concertos, a lei, as promessas e o próprio Cristo (Rm 3:1; 9:2-5).

 

3. Que promessas tinham os gentios e desde quando cresceu sua participação entre o povo do ETERNO?

o ETERNO queria que os homens das nações servissem-No e recebessem, igualmente, as promessas de Israel (Is 55:3­5; 56:3, 6,7).

Sua participação, nos dias do AT, era muito modesta e limitava-se aos poucos prosélitos incorporados a israel.

O judaísmo, nos dias de o Messias estava decadente; falhou em sua missão sacerdotal, fazendo-se mister uma reorganização.

o Messias, com Sua morte, estabeleceu um Novo Pacto e reergueu o Tabernáculo de Davi, abrindo espaço aos gentios (At 15:7,14-17; Am 9:11,12; Rm 9:25; Jo 10:16). Ao mostrarem-se hostis ao Messias e Sua mensagem, os judeus estavam rejeitando a Pedra Angular; abriram mão de sua exclusividade como arautos da mensagem do ETERNO, passando o sacerdócio a outro povo (Mt 21:40-43; I Pe 2:7-10; At 13:46).

 

4. A quem, primeiramente, foi dirigida a pregação do Evangelho?

Era mister, conforme já estudamos, que o pacto fosse feito com o povo de Daniel. A mensagem do Messias, realmente foi anunciada a Israel (Mt 10:5, 6; 15:22-28; Lc 24:47; At 3:26; Rm 1:16 e 2:9, 10) e os que aceitaram a fé iam multiplicando-se (At 2:41, 47; 4:4; 5:4; 6:1,7; 9:31). O número de 144 mil israelitas teria que ser alcançado, antes do ingresso da grande multidão. Cornélio marcou o início da grande multidão na Igreja.

 

Distinção entre os dois grupos.

OS 144 MIL

A GRANDE MULTIDÃO

a) São israelitas naturais;

a) E de todas as nações;

b) Podiam ser contados;

b) É incontável;

c) São um número fixo;

c) É um número ilimitado;

d) Assinalados em tempos de paz;

d) Salvos em qualquer tempo;

e) São primícias;

e) Salvos após os 144 mil;

f)  São virgens.

f) Contém povos vindos do paganismo.

 

EXPLICANDO:

a) Existem contrastes entre os dois grupos (Ap 7:1-15; 14:1-5). Isto é bom, pois não admite confusão ou mistura de seus participantes.

b/c) Os 144 mil representam um número limitado de israelitas naturais; a grande multidão é incontável e é formada por pessoas de todas as nações da Terra.

d) Os 144 mil foram recrutados em um tempo de paz (os quatro ventos estavam retidos, pelos quatro anjos - Ap 7:1-3; At 9:31). A grande multidão, não.

Esta tem formado-se em todos os tempos; de paz ou de guerra.

e) Os 144 mil são primícias, ou seja, primeiros frutos. São formados dos primeiros israelitas convertidos (judeus que tornaram-se cristãos), na era apostólica (Ap 14:4).

Não é possível considerar-se primícias, os crentes de nossos dias.

f) Os 144 mil não se contaminaram com mulheres; são virgens (Ap 14:4), isto é, nunca fizeram parte de organizações religiosas, fora do judaísmo.

Mulher, na Escritura, pode significar religião ou Igreja; verdadeira ou falsa (II Co 11:2; Ap 12:1,2,6; 17:1-6). Os gentios, mesmo convertidos, vieram de religiões pagãs, eram contaminados e não se ajustam aos requisitos do 144 mil.

OBS: Na ressurreição dos salvos, virão os 144 mil juntamente com a grande multidão para recepcionarem os salvos vivos logo após o toque da Sétima trombeta!

 

5. Por que não se pode colocar gentios convertidos entre os cento e quarenta e quatro mil ou confundi-los com os israelitas espirituais?

Dizer que os 144 mil são israelitas espirituais (gentios convertidos) é o mesmo que destruir as muitas diferenças que os caracterizam como dois grupos distintos (Ap 7:4, 9).

OBS: Principalmente o fato de os demais terem origens em diversas religiões advinda do paganismo (a trindade - pagã - é a principal característica destas denominações que se dizem cristãs - Is 4:1).        

Todas as vezes que aparecem gentios e judeus , lado  a lado, temos que entender literalmente, ou seja, judeu e gentio naturais. Veja estas passagens, que judeu é judeu e gentio, é gentio. (At 13:45, 46; Rom 1:16; 2:9; Gl 3:28).

OBS: Estes 144 mil serão os reinos e Sacerdotes (Ap 5:10; 20:6) que pregarão o evangelho, durante o reinado Messiânico terreal, até que venha o fim (Mt 24:14), após o  milênio (Is 66:19, 21).

 

 

SAIR