Make your own free website on Tripod.com

CURSO INTERATIVO

          ÍNDICE

1 - As Sagradas Letras

2 - o ETERNO Revela o Futuro:

3 - E a Verdade vos Libertará

4 - A Estratégia do Inimigo:

5 - O Anticristo e suas Meretrizes:

6 - E Lançou a Verdade por Terra:

7 - O Apocalipse revela a Verdadeira Igreja:

8 - o ETERNO coloca o Seu Selo sobre nós:

9 - A maior profecia da Escrituras

10 - O Juízo Final; você tem medo?

11 - Lei ou Graça?

12 - As Bestas do Apocalipse

13 - Sete Pragas contra este mundo!

14 - Finalmente!

15 - Os Porta-vozes do ETERNO:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 As Revelações do Apocalipse

9 - A maior profecia das Escrituras


Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado. (Daniel 8:14 RA).

Antes do pecado o ETERNO falava face a face com o homem. Depois do pecado o homem não via mais o ETERNO, apenas ouvia a Sua voz entre as árvores do jardim (Gên. 3:8).

Após 3.500 anos, o homem nem sequer ouvia mais a Voz do ETERNO (Isa: 59:1-3).

A situação nos dias de hoje é pior ainda:

o ETERNO Disse:

Assim, pois, como diz o espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração... (Heb. 3:7 RA cf Apocalipse 3:20).

O ser humano está tão longe do ETERNO que o Messias precisa bater à porta do coração e dizer:

se alguém ouvir a minha voz... porque muitos não conseguem nem ouvir mais a voz do ETERNO:

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo. (Apoc. 3:20 RA).

E foi, justamente por esta situação criada pelo pecado que o ETERNO disse a Moisés:

...E me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles. (Êxo. 25:8 RA).

o ETERNO, então mostrou a Moisés o MODELO de um santuário, em uma visão, e disse: Olha, faça tudo conforme o modelo que te foi mostrado no monte... Heb. 8:5. (Êxo. 25:9).

Este Santuário era composto de uma parte externa (o Pátio) e de uma Tenda dividida em duas partes: A parte Santa (Santuário) e uma segunda parte separada por um Véu: o Santo dos Santos (Santíssimo). Na parte Santa apenas os sacerdotes podiam entrar... Na parte Santíssima somente o Sumo sacerdote (representando Cristo) podia entrar e isto somente uma vez por ano.



O Santuário:

1 Altar de Sacrifícios
2 Pia Sacerdotal
3 Pães da proposição
4 Castiçal
5 Altar de incenso
6 Arca do Testemunho

 

 

                              3

                                       5

                 6                                         2                   1

                                   4

            Planta do Santuário Terrestre


Cada parte do Santuário apontava para um ministério de Cristo:

1 O altar: o sacrifício de Cristo na Cruz
2 A pia: João 4:14 (Batismo/Espírito Santo)
3 Os Pães: João 6:35 (12 tribos de Israel)
4 Castiçal:João 8:12 (7 lâmpadas = igrejas)
5 Altar de Incenso: As orações (Apoc. 5:8)
6 Arca: cuidado, direção, amor e justiça... O Trono dce DEUS!

Conforme o que vimos no diagrama acima, o Altar e a Pia estavam no Pátio. Quando o homem caía em pecado, tinha que pegar um cordeirinho sem mancha, Cristo, levá-lo até o Pátio do Santuário, confessar seus pecados à o ETERNO com as mãos na cabeça do animal e, em seguida sacrificar o cordeiro (com suas próprias mãos), que morria em seu lugar já que o salário do pecado é a morte... (Rom. 6:23). O Sacerdote pegava o sangue e colocava nas pontas do altar e o resto derramava aos pés do altar.

O pecado saia simbolicamente do pecador e era transferido para o cordeiro que simbolizava o que Cristo um dia faria na Cruz do Calvário... Cristo, ao morrer, saldou uma velha dívida:

...tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz; Col. 2:14.

Portanto, a Lei que Cristo cravou na Cruz não foi a Lei dos Dez Mandamentos e sim a Lei das ordenanças (conhecida como a Lei de Moisés) que apontavam para a Cruz... Todo este ritual existiu até a morte de o Messias. Ali no Calvário Ele deu fim, uma vez por todas (Heb. 7:27) ao sistema de sacrifícios. Por isso o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo... (Mar. 15:38).

A Lei dos Dez Mandamentos (Lei Moral) permanece para sempre pois revela o caráter do ETERNO; por isso Ele disse:

Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. (Mateus 5:17-19 RA).

MAS, VOLTANDO AO SANTUÁRIO:

Na parte Santa o Sacerdote entrava pelo menos duas vezes ao dia para aspergir o sangue dos holocaustos da manhã e da tarde além das ofertas pelos pecados...

No Santíssimo, uma vez por ano se dava a purificação do Santuário que era feita com sangue, água e fogo... Nesta parte do Santuário estava a Arca da Aliança, em cuja presença encontrava-se três coisas (Heb. 9:4): O Maná representando o cuidado do ETERNO por Seu povo e o Santo Sábado apresentado ao povo muito antes das Tábuas da Lei (Êxo. 16:14-30); A Vara de Arão representando a Direção segura da mão do ETERNO (Num. 17:5) e As Tabuas da Lei, A justiça do ETERNO (Êxo. 20: 3-17).

Muitos aqui poderiam fazer uma pergunta: Se Cristo representava os sacrifícios diário e tudo se cumpriu na Cruz, então o Santuário não tem mais necessidade?

Lembre-se que Moisés fez tudo conforme um modelo a ele mostrado por o ETERNO: o Santuário Celestial

Saiba que quando Cristo subiu aos céus após a Sua ressurreição, Ele entrou no lugar Santíssimo, onde está o Trono de DEUS (Apoc 3:21) e lá permanece como Sumo-sacerdote, intercedendo por nós... No entanto, a IASD ensina que  até o ano de 1844 Ele não esteve junto ao Pai pois aplicando-se Dan 8:14 como sendo 2.300 anos nos conduziria a este ano... Segundo esta interpretação Cristo voltaria neste ano!  Vamos, a partir deste ponto, estudar esta interpretação:

Como chegou o ano de 1844 (22 de outubro) e Cristo não veio, surgiu uma NOVA "explicação": 1844 não era a volta de o Messias para purificar a TERRA mas sim a entrada de JESUS na parte santíssima para purificar o santuário celestial da presença do pecado...

Mas, antes de entrarmos em detalhes sobre a "maior" profecia bíblica, é importante percebermos que Cristo realiza, hoje, um trabalho que era simbolizado pelo sumo-sacerdote do antigo santuário. Alguns minutos atrás vimos que uma vez por ano o sumo-sacerdote entrava na parte santíssima para realizar a purificação que simbolizava o Dia do Juízo Final.

Cristo continua sendo o nosso intercessor (Advogado - I João 2:1), mas também recebeu a missão final: Selar-nos, separando assim os cabritos dos bodes; separando o joio do trigo... Mat. 25:33, 34, 41, 46.

o Messias morreu por você, e é por você que Ele continua lutando para que não venha se perder; por isso, irmãos, não mostre a o ETERNO o tamanho dos seus problemas, mostre aos seus problemas (satanás) o tamanho do seu o ETERNO...

...mas, vamos estudar um pouco sobre a "maior" profecia de deus:

OBS: Diz-se maior por crer-se que Dan 8:14 representaria 2.300 anos...

Embasemos a interpretação:

Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado. (Daniel 8:14 RA).

Para a compreensão desta profecia temos que ter um pouco de bagagem: é como para podermos ler termos que, primeiro, aprender o  a e i o u.

E, o primeiro ponto a se considerar é que TODA vez que a Escrituras nos apresenta uma profecia envolvendo tempo, a palavra DIA deve ser substituída por ANO, ou seja um dia por um ano. Este princípio era conhecido pelo povo judeu e pelos primeiros pais da Igreja, mas é a Escrituras que nos apresenta esta equivalência, veja:

Vossos filhos serão pastores neste deserto quarenta anos e levarão sobre si as vossas infidelidades, até que o vosso cadáver se consuma neste deserto. Segundo o número dos dias em que espiastes a terra, quarenta dias, cada dia representando um ano... (Números 14:33-34 RA).

Ezequiel comprova este princípio de modo inverso: Quarenta dias te dei, cada dia por um ano... Eze. 4:7; Gên. 29:27, 28 nos mostra esta relação apresentando a Semana de Anos (Casamento de Jacó). Em Lev. 25:8 temos o mesmo cálculo ao falar-nos sobre o jubileu a cada 49 anos (7x7semanas). Cristo também usou esta simbologia referindo-Se ao tempo dado aos judeus pelo Senhor na profecia de Daniel 9:25-27 (Mat. 18:22).

Portanto, um Dia simbólico significa um Ano literal.
Apoc. 12:6, 14, 13:5 = 1260 anos literais...

O segundo ponto é sobre o significado da expressão tardes e manhãs: Muitos querem que esta expressão esteja referindo-se aos sacrifícios que eram ministrados diariamente no Santuário. Estes sacrifícios eram realizados pela manhã e à tarde e nos originais da Escrituras nunca foi usada a expressão Tarde e Manhã para estes sacrifícios, exceto que no livro de Gênesis em seu primeiro capítulo, podemos ler:

Chamou o ETERNO à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia... Gên. 1:5.

Esta foi a forma usada por o ETERNO para falar sobre o período de 24 horas que nós conhecemos como dia: uma parte escura (tarde) e uma parte clara (manhã)...

Portanto: 2300 tardes e manhãs representam 2.300 dias simbólicos ou seja: 2.300 anos literais...

OBS: E, é justamente aqui que se comete o ERRO da IASD em transformar esta profecia em 2.300 ANOS pois para um mesmo símbolo profético aplicou-se DUAS interpretações sucessivas ou seja, Tarde e Manhãs => DIA e depois Dia => ANO. A primeira "conversão" é correta e a segunda é "forçar" a interpretação para dar certo com o computo adventista"

Continuando:

O terceiro ponto: A visão relatada em Daniel 9 é a mesma de Daniel 8?

Ao estudar o capítulo 8 de Daniel, praticamente tudo foi explicado a ele, exceto a parte das 2.300 tardes e manhãs. Daniel ficou doente e não pode receber as explicações (Dan. 8:27). Somente 13 anos depois é que Daniel, em suas súplicas, recebe agora a explicação daquela visão sobre o Santuário (Dan. 9:21). Portanto, a profecia sobre as SETENTA SEMANAS de Dan. 9:25 é a mesma profecia e os 2.300 dias fazem parte da mesma...

O quarto ponto: Quando teve início estes 2.300 dias (e não anos, pois já vimos que esta interpretação não corresponde aos fatos bíblicos - Apoc 3:21)?

Primeiro temos que estabelecer em que ano se inicia a contagem da profecia maior (as Setenta Semanas que realmente são 490 anos pois ali temos DIAS que podem e devem ser interpretados como anos).

Este ponto a Escrituras nos esclarece quando lemos em Esdras cap. 1 e 3 que após um decreto do Rei assírio, Ciro o Grande, em seu primeiro ano de reinado (537/538 a.C.) permitiu a restauração do templo em Jerusalém... Tempos depois foi preciso mais um decreto, agora do governador de Babilônia, Dario, permitindo que os Israelenses voltassem para a sua pátria... Transcorreram cerca de cinqüenta anos e Neemias, um copeiro do Rei Artaxerxes, foi mandado à sua terra natal de posse do mais importante decreto: o que deu autonomia a Jerusalém. Esd. 7:8 (457/458 a.C.); 7:25, 26. Portanto, foram necessários três decretos para a Reedificação de Jerusalém, porém devemos considerar o terceiro como o ponto de partida das SETENTA SEMANAS, pois foi somente após o decreto de Artaxerxes é que foi consolidada a independência de Israel...

Apesar de termos os Livros de Esdras e de Neemias para nos esclarecer, bíblicamente, muitos ainda colocam dúvidas no ano de 457/458 a.C. como sendo o ponto de partida desta profecia do cap 9 de Daniel. Porém, o ETERNO em Sua onisciência, sabendo que os homens (Satanás) procurariam colocar em dúvida Sua Palavra Profética, ao mandar o anjo em socorro de Daniel para esclarecê-lo apresentou-lhe mais detalhes: Vamos entender as Setenta Semanas:

Ao cumprirem esta parte da profecia que apontavam para Cristo, podemos de um modo inverso, confirmarmos o ano de 457/458 a.C. como sendo realmente o ponto de partida desta importante profecia para os nossos dias.

Vamos conhecer o que os versos de Daniel 9:25-27 falam sobre Cristo:

Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará; e o povo de um príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas. Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana; na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre Ele (Daniel 9:25-27 RA).

Lendo Neemias 3 e 4 vemos que a reconstrução da cidade de Jerusalém caracterizam esta sete primeira semanas relatada na profecia, pois foram tempos angustiosos...

Depois disto após 62 semanas (ou seja 483 anos) vemos o relato do Batismo de o Messias, o Ungido Príncipe (ano 27 de nossa era). E é justamente este ano (27 d.C) que comprova que o ano 457 a.C. é o ano inicial da profecia de Dan. 8:14.

Tendo já se passado 69 semanas ainda restam uma última semana, a mais importante pois nela está relatado o sacrifício de o Messias na Cruz e o fim dos holocaustos (vs. 27) e complementa que após isto virá o assolador... E, é JUSTAMENTE aqui que se cumprem as 2.300 tardes e manhãs (dias)!

Neste ponto da profecia, muitos interpretes querem dizer que a última semana não é literal e que portanto ela ainda não terminou, ou seja, só terminaria com a volta de o Messias. Mas, veja que a volta de o Messias não é o tema da profecia e sim a última oportunidade dada ao povo judeu de retrocederem em seus maus caminhos vs. 24. Sobre esta oportunidade final o Messias se referiu em diversas parábolas, fatos ou ocasiões (Mat. 18:22; 24:15; Luc. 10:1).

Mas, qual é a importância desta profecia para nós?

Ao cumprirem-se fielmente as Setenta Semanas (490 anos) dados aos judeus (Mat. 21:46), podemos ter certeza no cumprimento final dela, ou seja, sobre os 2.300 dias...

Neste ponto a IASD somou ao ano de 457 a.C, 2.300 anos e chegou ao ano de 1.844. Neste ano, muitos esperavam a Volta de Cristo para purificar a Terra que julgavam ser o santuário da profecia... Houve grande decepção pois Cristo não Veio!

Neste dia as igrejas esvaziaram-se. Porém uns poucos perseverantes, voltaram à Escrituras e lendo o livro de Hebreus, entenderam que o Santuário a que se referia a profecia era o Santuário Celestial e então anuíram que naquele ano Cristo estaria entrando na parte Santíssima do Santuário Celestial, indo de encontro às Escrituras... E, para comprovar a NOVA interpretação, serviram-se das visões da recém profetiza EGW que chegou a afirmar que a Porta da Graça havia sido fechada nesta data e que após SETE anos CRisto, finalmente viria!

A purificação que Hebreus referia-se era aquilo que anualmente era feito simbolicamente no Santuário terrestre, quando o sumo-sacerdote entrava para purificá-lo das imundícias causado pelos pecados... Ali, então, o sumo-sacerdote declarava PERDOADO todo pecado confessado.

No entanto, aquilo apenas tipificava o que Cristo faria com o Seu próprio sangue. Portanto, desde a ascensão de o Messias, estamos em pleno Juízo pois como vimos na lição anterior, cada um que morre JÁ está com o seu destina selado (Dan 12:2). Já não nos resta muito tempo pois os sinais apontam para a Breve Volta de o Messias e até este dia, teremos que ter tomado uma decisão a favor da vida... Irmãos, vamos ajoelharmos agora perante o ETERNO e silenciosamente pedirmos perdão pelos nossos pecados na certeza de que o nosso Sumo-sacerdote, Yaohushua, está advogando neste momento em nosso favor, perante o Pai. Amém!
 

Mas, então qual é a REAL interpretação sobre as 2.300 tardes e manhãs? Vejamos:

Naqueles dias da última semana apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia, dizendo: “Arrependei-vos porque é chegado o Reino dos Céus” (Mat 3:1-2); cumprindo Isaías 40:3; e, isto aconteceu no primeiro dia literal da semana nº setenta...

João Batista tinha naquele dia trinta anos de idade e já estava apto e preparado para ocupar esse ministério; Veja Num 4:3-23; 30-35; 39; 43-47. Isso aconteceu durante o Império de Tibério César, sendo Poncio Pilatos o governador da Judéia, Herodes o tetrarca da Galiléia e seu irmão Filipe, tetrarca de Abilene. Sendo Anás e Caifás sumos sacerdotes.

Veio no deserto a palavra do ETERNO a João filho de Zacarias, (Lucas 3:1-2 - leia o capítulo até o versículo 20); então veja que enquanto isso, o Messias estava na Galiléia aguardando seus trinta anos completos para ir a João no Jordão para também ser batizado porque Ele não podia assumir seu Ministério sem completar os trinta anos como diz a lei de Moisés.

Mat. 5:17

Disse o Messias: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas, não vim AB-Rogar, mas cumprir”.

Então, note bem, o Messias completou seus trinta anos (Lucas 3:23) e se dirigiu a João que ha seis meses estava batizando:

Mat. 3:13-17

Então veio o Messias da Galiléia ter com João junto ao Jordão para ser batizado, mas João opunha-se-lhe dizendo: “Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?”. o Messias porém respondeu: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a Justiça”. Então ele o permitiu. E sendo o Messias batizado saiu logo da água e eis que se lhe abriram os céus e viu o Espírito do ETERNO descendo como pomba e vindo sobre Ele. E eis que uma voz dos céus dizia: “Este é o meu filho amado, em quem me comprazo”.


Mat. 4:1-2

Então foi conduzido o Messias pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo, e tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome...


Continue lendo até o versículo 11 deste capítulo de Mateus:

Mat 4:12

o Messias porém ouvindo que João estava preso voltou para a Galiléia,

Então queridos irmãos notem que até aqui já se tinham decorrido 220 dias literais da última semana da série de setenta (João , o batista era seis meses mais velho que o seu primo o Messias - Lucas 1:36-38 - portanto 6 meses = 180 dias + 40 dias de jejum) e Cristo ainda não tinha pregado o Evangelho a ninguém...

Então você entende? Esses 220 dias pertencem à pregação de João Batista. o Messias, então volta para a Galiléia e fica sabendo que o Seu primo havia sido preso...

Mat 4:13-15

E deixando Nazaré foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima nos confins de Zebulom e Naftali para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías que diz: “A terra de Zebulom e a terra de Naftali junto ao caminho do mar além do Jordão a Galiléia das nações, o povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz, e os que estavam assentados na região e sombra da morte, a luz raiou;

Desde então começou o Messias a pregar e a dizer:

Mat. 4:17

“Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos Céus”.


Neste versículo vemos o começo da pregação de Cristo que pregou por um espaço de 1040 dias literais até a cruz. Note que no verso 18 é que vemos o Messias selecionando o seu apostolado (Mat 4:18).

Então, voltemos aos saudosos pioneiros, principalmente Miller que fez seu cálculo na profecia de Daniel 8:14 em 2300 anos e marcou a vinda de Cristo para 22/10/1844, e o que aconteceu? Seu cálculo falhou e o Cristo não veio. Então o Miller e uma grandíssima multidão ficaram todos decepcionados, porquê? Por que Cristo não veio, e muitos acharam que não passou de uma grande ilusão. Mas de fato não vamos criticar Miller e os demais que queriam ver esse grande evento, ou seja, a volta do grande mestre, nosso Salvador.

Mas na verdade foi uma grande negligência, porque marcar a volta de Cristo, foi um grandíssimo erro, pois o próprio Cristo disse que esse segredo é só o seu Pai quem conhece...

Mat. 24:36

“Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem mesmo os anjos do céu nem o filho mas unicamente meu Pai”.


Atos 1:6-7

Aqueles pois que se haviam reunido perguntaram-lhe dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-lhes: “Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo Seu próprio poder”.

Então vejamos aqui o grande erro que se cometeu por não examinar bem as escrituras. Mas se Miller não tivesse cometido esse engano, eu não estaria aqui, hoje, re-examinando esta profecia. No entanto, eu quero deixar um alerta para aqueles da velha plataforma de 1844 que ainda pensam que esse movimento é a Igreja da Profecia: Devem rever (Atos 17:11) e decidir-se porque errar é possível, mas continuar no erro é proibido; é um grande descuido!

Recapitulando, como nós sabemos que setenta semanas somam-se quatrocentos e noventa anos proféticos; uma semana soma-se sete anos, e sete anos soma-se 2520 (dois mil quinhentos e vinte) dias literais. A pregação de João até o batismo de Cristo – seis meses ou cento e oitenta dias literais; Cristo foi batizado e não foi pregar, mas foi jejuar por um prazo de quarenta dias e quarenta noites para ser tentado pelo diabo. E findo que foi o jejum, chegou Satanás o grande enganador para enganá-lo com sua mentiras (Luc 4:1-12). Portanto, 180 + 40 = 220 dias literais...

Então nossos amigos vejam que a pregação de João Batista foi justamente 220 dias literais... Como vimos, uma semana somam-se 2520 dias e deduzimos a pregação de João - 220 dias - restando então as 2300 tardes e manhãs (Dan. 8:14). Temos que decorridos, até a cruz, 1260 dias, ou seja, metade da 70º semana e com a outra metade (mais 1260 dias literais) chegaremos à morte de Estevão, terminando aqui o prazo para que o povo judeu deixassem as suas transgressões... e assim terminasse o prazo dado aos judeus para que deixassem de contaminar o santuário celestial com as suas transgressões.

Cristo pregou por um espaço de 1040 dias (e não por 1.260 dias) porque durante o jejum Ele não pregou pois, estava se preparando (durante quarenta dias e quarenta noites) para enfrentar satanás e graças aos evangelhos, sabemos que o enfrentou e o venceu graças ao Todo Poderoso SENHOR JEOVÁ DEUS, Aleluia Amém.

Por isto é que a purificação do santuário - com a dispersão dos judeus para todas as nações - ocorre na última semana e foi por isto que o anjo confortou a Daniel dizendo que estas coisa eram para o tempo do fim... da profecia (não confunda com Fim dos Tempos).

Muitos, porém vem o cumprimento desta profecia (das 2.300 tardes e manhãs) como sendo 1.150 dias (uma alusão aos sacrifícios da manhã e da tarde que ocorriam no templo) e que se cumpriram durante o período em que Etíoco Epifânio profanou o templo (leia Macabeus), porém, historicamente sabemos que a profanação de Etíoco durou 1030 dias e DEUS é muito exato para errar o tempo de um fato! Além de que Etíoco Epifânio é assunto do capítulo 11 de Daniel...

A Seguir Selecione o texto e cole para o seu computador; responda e nos envie por e-mail.

RESPONDA!

1 – Quando, de acordo com a profecia, devia ser purificado o santuário? ...Até _______ mil e _______________  tardes e manhãs; então o santuário será purificado. Dan 8:14

OBS: Tardes e manhãs é o modo bíblico de dizer DIA, conforme Gênesis 1 - os dias da criação...

2 – Que porção de anos, mencionada na visão do cap 9 de Daniel, foi determinada aos judeus? Note bem para que foi dado este período! ______________ semanas estão decretadas sobre o _________ povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo. Dan 9:24

3 – Quando, disse o anjo, que devia começar as Setenta Semanas? Sabe e entende: desde a ___________  da ordem para __________________ e para e _____________ Jerusalém até o ungido, o príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas... Dan 9:25

 4 – No final dos 483 anos (69 semanas) ainda restava uma semana. Que deveria acontecer no meio desta semana? E ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na _______________ da semana fará _________________  o _____________________ e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador...  Dan 9:27

OBS: Isto ocorre com a morte de o Messias e DEUS faz saber aos homens que os sacrifícios terminaram quando rasga o véu do Templo (Mat 27:51).

5 – Que advertência Paulo nos faz? Mas o ETERNO, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se ___________________ ; porquanto determinou um dia em que com justiça há de _____________ o mundo, por meio do varão que para isso ordenou; e disso tem dado certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos. Atos 17:30, 31

6 – Sob que símbolo é acentuada a importância da mensagem da hora do juízo? E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho ______________ para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo com grande voz: Temei a o ETERNO, e dai-lhe glória; porque é chegada a hora do seu juízo...  Apoc 14:6, 7

OBS: A hora do nosso juízo chega no momento em que ressuscitamos, pois fomos selados na morte (Dan 12:2). Além de que DEUS conhece os Seus... João 10:14; II Tim 2:19.

7 – Que ordenou o ETERNO a Israel, por intermédio de Moisés?...me farão um  ____________ para que eu ___________ no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis. Êxo 25:8, 9

8 – Que foram instruídos a fazer, os pecadores desejosos de perdão? E se alguém dentre a povo  ____________________  por ignorância, fazendo qualquer das coisas que o Senhor __________________  que não se fizessem... então trará por sua oferta uma cabra, sem defeito, pelo ___________________ cometido; porá a mão sobre a cabeça da oferta pelo pecado, e a  ________________________ no lugar do holocausto. Lev 4:27-29

9 – O que se fazia com o sangue da oferta? Depois o sacerdote, com o dedo, tomará do sangue da oferta, e o _______________  sobre as pontas do altar do holocausto...  Lev 4:30

10 – Depois de acumular os pecados durante um ano, o que era feito no décimo dia do sétimo mês de cada ano? ...no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e não fareis trabalho algum...  porque nesse dia se fará ____________ por vós, para purificar-vos; de todos os vossos pecados sereis purificados perante o Senhor. Lev 16:29, 30

 

Minha Decisão: Compreendo agora que aquele Santuário Terrestre apontava para a cruz do calvário e que Cristo hoje, ministra em meu favor no Santuário Celestial...

Minha Assinatura: ________________________________ Data: ___/___/_____

 

 

SAIR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.