Make your own free website on Tripod.com
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

ESTUDANDO AS ESCRITURAS

          ÍNDICE

1 - As Sagradas Letras

&  Apoc 1:3; João 8:32

2 - O DEUS das Escrituras!

& Êxo 20:3

3 - O Santo Espírito

&  Atos 20:28

4 - Sinais dos Tempos

&  Mat 16:3

5 - A Salvação

& Mar 16:16

6 - A Origem do Mal

& I Jo 4:8

7 - A Confissão e o Perdão

& I Tim 1:15

8 - O Estado do Homem na Morte

&  Gen 2:7

9 - O Juízo do Criador

&  Apoc 22:12

10 - Um Dia para o Messias

& Exo 16:25

11 - A Igreja do Messias

& Jo 10:16

12 - O Milênio

&  Isa 65:9

13 - A Imersão

&  Atos 22:16

14 - Como nos Conduzir Perante o ETERNO

&  João 8:29

15 - Mordomos do Messias

& Sal 24:1

16 - Realmente Seremos Arrebatados?

&  I Tes 4:14-17

17 - o Nome

&  Exo 3:15

 

SOLICITE-NOS UMA VERSÃO PARA IMPRESSÃO DA SÉRIE COMPLETA!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Curso Adulto Básico

LIÇÃO 17

...o Nome

Até agora nada pedistes em Meu Nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo seja completo.

João/Yaohukhánan 16:24

 

O verdadeiro nome do Altíssimo – um dilema:

Todos nós sabemos que "Jeová" não é a correta pronúncia do nome do ETERNO. Sim, até mesmo a Sociedade Torre de Vigia (TJs) concorda com este fato, pois em várias publicações que tratam a respeito deste assunto, existe algo explicando o porque desta incerteza. Um exemplo disto pode ser visto no livro Perspicaz vol.2, sob o verbete Jeová. Segundo a própria Sociedade menciona e até mesmo concorda em suas publicações, os especialistas em língua e escritas em hebraico afirmam que o nome do Criador entrou no esquecimento, devido ao fato de que na escrita hebraica original não se utilizavam vogais, mas apenas consoantes. Isto é um fato. Todos nós aprendemos que judeus ortodoxos, por supersticiosamente acharem o "nome" divino sagrado demais para ser pronunciado deixaram de usá-lo, substituindo-o na hora da leitura pela palavra "Adonai", que em português quer dizer "Senhor", nos lugares onde havia a ocorrência do tetragrama "hvhy" (lê-se da Direita para a Esquerda), que transliterados para o nosso tipo de escrita, correspondem às letras "YHWH" ou "YHVH".

Segundo os estudiosos da língua, o "nome" mais correto, ou a "pronúncia" mais próxima daquela que os hebreus utilizavam no passado ao referir-se ao Altíssimo, e que a Sociedade parece concordar, é a forma "Yahweh/Javé". Eles afirmam que isto é apoiado pela existência da expressão "Halelu-Yah/Louvai a Jah" , no Salmo 89:8 e em outros locais das Escrituras, ao invés da expressão "Halelu-Yeo/Louvai a Jeo", que deveria ser o correto, caso o "nome" do Criador fosse realmente Jeová. Aparentemente parece lógico.

Em vista disso perguntamos: Se a forma, possivelmente a mais correta, para o nome do Criador fosse realmente "Yahweh", por que então a Sociedade não aderiu à este nome ao invés do nome "Jehovah/Jeová"? A Sociedade responde que opta pelo nome "Jehovah/Jeová" por este ser o mais "conhecido" e estar a mais tempo em uso, e que mudar este "nome" implicaria na mudança de muitos outros nomes bíblicos. Perguntamos: Desde quando poderíamos nós "optar" pelo nome do Ser mais sublime do universo, o Criador ETERNO, tendo como base o "nome" que é mais conhecido ao invés daquele que seria realmente o mais correto? Quem nos deu este direito de "escolha"? Não foi o próprio ETERNO que atribuiu a si o Seu "nome"? Quem somos nós para mudá-lo ou escolhe-lo? Será que o ETERNO "troca de nomes", ou atende por outros nomes, só porque as pessoas estão mais acostumadas a chamarem-no por um nome que elas preferem? Fica aí algumas questões para nossa reflexão. Pensar desta forma poderia dar margem para o seguinte argumento: Se utilizarmos o conceito de que o mais "conhecido" ou o mais "aceito" seja realmente a coisa razoável a se seguir ou adotar, então a Sociedade deveria fazer uso dos ensinos que ela mesma tem rejeitado tais como a Trindade, Cruz, Inferno de Fogo, Alma Imortal, uma vez que estes conceitos são os mais "conhecidos" ou "aceitos" pelas religiões que se dizem Cristãs, assim como se dá com o suposto nome do Messias, aceito atualmente.

Ademais, admitindo que fosse correto traduzir nomes próprios - o que não é – os nomes bíblicos atuais que temos hoje disponíveis, de qualquer forma não se harmonizam com o nome "Jeová". Se o nome do Altíssimo fosse realmente "Jeová", então:

Isaías teria sido traduzido como Isajes

Zacarias teria sido traduzido como Zacarjes

Sofonias teria sido traduzido como Sofonjes

Josué teria sido traduzido como Jesué

Jeremias teria sido traduzido como Jeremijes

...pois todos estes nomes têm o tetragrama [WHYH] em sua formação! Mas assim não foram traduzidos! Foi o "Nome" realmente esquecido?

Contudo, o assunto a respeito do "Nome" não para por aí! Perguntamos: É coerente compartilharmos o mesmo raciocínio destes estudiosos em línguas, muitos dos quais nem mesmo crêem na existência de um Messias, quando eles afirmam que ninguém saberia pronunciar o Seu "nome" corretamente em nossos dias, devido ao fato deste "Nome" ou sua correta pronúncia ter caído no esquecimento ou se perdido?

Bem, uma coisa podemos afirmar, se pensarmos desta forma estaremos indo de encontro ao que o próprio ETERNO disse em Êxodo 3:15, quando Ele revelou pela primeira vez o Seu sagrado "Nome" à humanidade. Ele disse : "...hvhy... este é o meu nome por tempo indefinido, e esta é a recordação de mim por geração após geração".

Portanto, concluirmos que este "nome" não tenha se perdido no tempo e que ninguém mais seja capaz de pronunciá-lo corretamente em nossos dias, pois sendo assim, estaríamos afirmando que o ETERNO mentiu [Tito 1:2]. Será que o Criador permitiria que a correta pronuncia do Seu sagrado nome caísse no esquecimento?

E o que dizer então das formas que atualmente conhecemos como sendo as mais prováveis pronúncias do "nome" do Criador?

De qualquer maneira, nenhuma forma que comece pela letra J tem apoio escriturístico, pois não existe a consoante "J" bem como nenhuma forma parecida na língua hebraica [nem no grego e nem no latim], tanto é que a transliteração correta do tetragrama " hvhy " (lido da direita para a esquerda), tem na sua primeira letra um "y" ( "y" – lê-se yod em hebraico ), que corresponde ao som da letra "i" em português. Então, um erro já acontece logo no começo, pois um "J", cujo som é totalmente diferente de "i" é usado no início destes nomes conhecidos atualmente, quando que o correto seria utilizar uma consoante "Y" ou mesmo uma vogal "i", pois ambos produzem o mesmo som, e o que importa realmente é a pronúncia, e não a escrita. Este é um dos motivos, que "teoricamente" a forma Yahweh estaria mais próxima do correto, ou seja, por começar com a letra (Y/I) que produz o som correto, ou equivalente ao original. Contudo, há evidências que mostram que o nome Yahweh também não poderia ser o correto nome do ETERNO.

Comecemos por um detalhe digno de nota: Os hebraicos, em vez de chamar o ETERNO por Seu Nome, usam a palavra há-shem [o nome] por um simples respeito desmedido; isto quando não o diminui usando a palavra adonai [I Co 8:5-6]. E, acabaram por JUNTAR esta pronuncia ao tetragrama dando a palavra YEHOVAH [Jeová] ou YAHWEH [Javé].

Pode ser que alguém argumente: "Más os nomes estão traduzidos para a nossa língua e por isso eles começam com a letra J". Isto não tem fundamento. Primeiramente temos que ter em mente que as muitas línguas existentes hoje na terra não são frutos de uma bênção da parte do Criador e sim de uma maldição. E em segundo lugar temos que entender que nomes próprios não são traduzíveis. Se uma pessoa se chama "Pierre", na França, ela deverá se chamar "Pierre" em qualquer lugar do mundo não importa a língua do local em que ele viva. Já imaginou se o nome do ex-presidente dos EUA, George Bush, fosse traduzido para a nossa língua – ele iria se chamar Jorge Arbusto. Que dizer então do ex-secretário de estado James Baker? Ele iria se chamar Tiago Padeiro! Com certeza estes dois exemplos, cômicos por sinal, jamais identificariam corretamente estas duas personalidades. Para identificarmos um indivíduo devemos utilizar o seu nome original com a correta pronuncia, ou pelo menos a mais aproximada que a nossa língua nos permita falar.

Ao invés de traduzirmos um nome, o que podemos e devemos fazer é transliterá-lo para a nossa língua, que é um processo completamente diferente de traduzir. Transliterar, consiste no ato de transportarmos o som, sílaba por sílaba de uma palavra, da língua de origem para outra língua, utilizando as letras disponíveis correspondentes ao som da pronúncia na língua original.

É evidente que neste momento, poderá surgir outra pergunta: "Como poderíamos saber qual a pronúncia correta do nome do ETERNO?" Veja, se o próprio Altíssimo disse que seu "nome" seria "lembrado de geração após geração", certamente Ele não permitiria que o mesmo caísse no esquecimento, como muitos afirmam...

Portanto, é a pronúncia o que realmente importa e não a forma como o nome é escrito. Podemos ilustrar isso da seguinte maneira : Digamos que existam três pessoas num recinto – uma se chama Kátia, a outra Kathya, e a ultima se chama Cátia. Se chamarmos por qualquer um dos três nomes, com certeza as três olharão; isto, porque o que importa realmente neste caso, é a pronuncia, ou aquilo que é dito, e não a forma como os nomes estão escritos, que embora usem escritas diferentes, produzem o mesmo som. O mesmo vale para o "Nome" do ETERNO [e de Seu Filho]. Devemos nos preocupar com a correta pronúncia dele, e não com a maneira como o escrevemos, não importa o idioma que falamos. Bem, vamos então às evidencias que temos, para nos ajudar saber qual é o Verdadeiro nome do Altíssimo.

Essas questões podem parecer irrelevantes ou sem importância alguma, mas é o próprio ETERNO que diz que o seu "nome" foi profanado entre as nações [Ez 36:23] e, diz que o seu povo saberia Seu Nome [Is 52:6]. Também, somos questionados com respeito a este conhecimento em Provérbios 30:4 que lança a desafiadora pergunta para todos nós: "Quem subiu ao céu para descer? Quem ajuntou o vento na concavidade de ambas as mãos? Quem embrulhou as águas numa capa? Quem fez todos os confins da terra se levantar-se? Qual é o Seu Nome e qual o Nome do Seu filho, caso [o] saibas?" – [TB]. Outra tradução usa o termo "Diga-me se você souber!" [New Internetional Version]. Por tudo isto é que está Escrito: "todo aquele que invocar o nome de hvhy será salvo" (Joel 2:32; Atos 2:21).

Evidências do verdadeiro "Nome"

Sabemos que os hebreus ao darem nomes aos recém-nascidos, geralmente selecionavam um nome que possuía algum significado. Até mesmo a filha de Faraó, ao retirar aquela criança do rio Nilo fez isso, ou seja, atribuiu-lhe o nome "Moisés" devido ao fato dela "tê-lo tirado dá água". Definitivamente os nomes tinham um significado!

O interessante é que muitos nomes daqueles dentre o "povo do Criador" naquela época, também continham o "nome" do ETERNO embutido em seus próprios nomes. Vou citar alguns exemplos: Isaias, Jeremias, Sofonias, João, etc... Cada um desses nomes tem um significado, e traz embutido em si a pronúncia correta do nome do Criador. Infelizmente, por não terem sido feitas as corretas transliterações dos nomes da língua original (hebraica) para as demais, e sim traduções, perdeu-se esta visão do "nome" sagrado dentro dos nomes antigos. Contudo, se fizermos a correta transliteração, ou seja, trazermos os mesmos sons da língua hebraica original para o nosso idioma, poderemos claramente perceber uma "palavra" comum em todos estes nomes que mencionamos anteriormente. Aqui estão, portanto, alguns exemplos de nomes transliterados do hebraico para o português:

Em hebraico

Tradução errada

Transliteração correta

vhyiwy

Isaias

Yaoshuayaohu

vhymry

Jeremias

Yarmiyaohu

hdvhy

Judá

Yaohu’dah

vhyway

Josias

Yaosh’yaohu

vhyla

Elias

Uli’yaohu

Iwvhy

Josué/Jesus

Yaohu’shua

Todos contém o tetragrama, ou seja, o Nome do Eterno Criador!

Existe algo especialmente interessante com respeito ao último nome da lista "Josué/Jesus", o que mostra como a tradução de nomes, e não a correta transliteração, infelizmente produzem problemas sérios de identidade nas traduções da Bíblia. No Hebraico antigo, YAOHUshua, que significa "hvhy é a salvação" ou "hvhy Salvará", no primeiro caso em que aparece nas traduções da Bíblia, é transformado em "Josué", que teoricamente seria o mais correto, e no segundo em "Jesus". Ambos possuem o mesmo nome no hebraico original, mas se tornaram diferentes com o processo das traduções da Bíblia. Este é um detalhe curioso e que infelizmente poucos se dão conta da sua importância e até que ponto os homens chegam, não se importado com a Verdade – Jo 8:32.

Com relação aos nomes bíblicos citados no exemplo acima, de uma forma geral qualquer pessoa poderá notar que a palavra "YAOHU"* aparece claramente nestes nomes. Este som (iáurru) é claramente percebido na pronúncia de muitos outros nomes registrados nas escrituras, e todos eles dizem respeito ao Criador. Podemos ver que até mesmo na escrita hebraica desses nomes aparecem 3 das 4 letras do tetragrama : "vhy" (da direita para a esquerda), sendo elas o "YHW" correspondentes no nosso idioma.

Trata-se simplesmente de uma forma "abreviada" do nome do Criador ou trata-se de sua forma "completa"? A ultima letra "h", que corresponde a nossa letra "H", pode ter sido omitida na escrita destes nomes, devido ao fato da mesma não produzir som algum no nome do Altíssimo. Atualmente existem sinais [massoréticos] que apontam para o som vocálico das consoantes hebraicas. Alguns ao invés de utilizarem o correto massorético [Qamets Qaton] ao transliterar a vogal logo após o "Y" que produz o ditongo "AO", utilizam o Qamets Gadol que dá o som de "A" aberto, resultando na transliteração "YÁ-HU.

É significativo também o fato dos judaicos (que são o povo que se chama pelo Seu "Nome", segundo a Bíblia) serem chamados de "YAOHUdim" (ydvhy) em seu idioma nativo, o que deveria ser ..."YAHWEdim", caso o nome correto do criador fosse Yahweh/Javé ou mesmo "YEHOVAdim" caso fosse Yehovah/Jeová. Isso não seria mais coerente? E mesmo atualmente em nossos dias existem pessoas que trazem em seus nomes a mesma "palavra" hebraica contida nos nomes antigos acima citados. Um exemplo atual disso é o do ex-primeiro ministro de Israel que se chama Benyamin Nethanyaohu (com a correta transliteração) – indicando que o nome do ETERNO, na verdade nunca foi esquecido.

Veja abaixo a representação gráfica que mostrar como o tetragrama é pronunciado (Deve-se observar que em hebraico a leitura é feita da direita para a esquerda):

Será que nós mesmos não somos os responsáveis por não utilizarmos o Verdadeiro Nome do ETERNO, por justamente alegarmos erradamente que ninguém jamais poderia conhecer sua pronuncia correta, quando na realidade ela nunca foi esquecida - em harmonia com Suas próprias palavras - pois sempre esteve ali, disponível para quem quer que se interesse em conhecê-la? Será que este som, "iáurru", presente em tantos nomes bíblicos, cujo significado refere-se ao próprio ETERNO, e que é produzido pelos mesmos caracteres do tetragrama, é simplesmente uma mera casualidade ou coincidência?

E o que dizer do nome do Messias, cuja correta transliteração é  "YAOHÚSHUA" (iwvhy – YAOHU é a Salvação), ao invés de "Jesus", o qual todos nós estamos acostumados a nos referir, e cuja origem é claramente greco/romana e não judaica? Influem essas diferenças de nomes de alguma maneira na nossa adoração e consequentemente na nossa salvação, ou o Nome pelo qual nos dirigimos aos Seres mais importantes do universo não faz nenhuma diferença para Eles? Faria diferença se alguém chamasse você por outro nome que não o seu? Seja sincero!!!Antes de responderem a estas perguntas, leiam atentamente, por favor, no livro de Atos 2:21 e Atos 4:12, e depois sim, baseado no que lerem nestes textos, tirem suas próprias conclusões.

Um Nome falso para o Messias

O falso nome "Jesus" não poderia nunca ser o verdadeiro Nome do Messias, por diversas razões:

Não existe letra "J" em hebraico, portanto nenhum nome que contenha a letra "J" poderia jamais ser um nome de origem hebraica.

§    O Nome do Pai está contido no Nome do Messias, o Filho, e, obviamente, não está contido no falso nome "jesus" [Ex 23:21; Jo 17:11-12].

§    O falso nome "jesus" não tem o significado que foi dado ao Nome do Messias pelo enviado, qual seja: "...porque Ele salvará o Seu povo dos pecados deles". Este significado é exato e perfeito para o verdadeiro Nome YAOHUSHUA (IAORRÚSHUA), mas não possui relação alguma com o falso nome "jesus".

§        A origem do falso nome "jesus" é greco-latina, proveniente de ídolos mitológicos.

§        O falso nome "jesus" só apareceu após o século XIV, uma vez que a letra "J" só apareceu no século XIV, sendo impossível que no século primeiro se pudesse escrever um nome com uma letra inexistente. A letra "J", com o som que lhe é característico, não faz parte nem do hebraico, nem do latim e nem do grego.

§        O falso nome "jesus" não aparece profetizado em nenhum lugar do Antigo Testamento, como aparece o verdadeiro Nome YAOHUSHUA (IAORRÚSHUA), e nem poderia, uma vez que no idioma original do Antigo Testamento, o Tanakh, não há palavras escritas com a letra "J".

Há no Antigo Testamento alguns homens que foram figuras ou tipos do Messias, e que, assim, tinham o nome Yaohushua. Eram tipos simbólicos do Messias que viria. É curioso notar a obra de corrupção dos tradutores quando no lugar destes tipos que tinham o nome Yaohushua, eles colocaram "Josué", o que é igualmente falso. Quanto ao Messias, que recebeu o Nome YAOHUSHUA (IAORRÚSHUA) [Mt 1:21; “João” 17:6,11; Heb 1:4], eles substituíram pelo falso "jesus". Nem na corrupção eles usaram de coerência, e é realmente esperar demais que corruptos sejam coerentes! Cumpre-se Apocalipse 13:8!

Caros irmãos, libertem-se deste nome paganizado; pois ...conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.

(João/Yaohukhánan 8:32).

 

ADENDO: VOTOS PARA A IMERSÃO (TEVILAH)!

1 – Crê em YAOHUL UL (iáu-rru ul), O Ser Criador Todo-Poderoso e Eterno e em Yaohushua (iau-rrú-shua), o Filho unigênito, gerado do ABI-UL antes da eternidade?

2 – Crê que a Divindade Eterna, hoje se faz presente em Espírito, que é Santo e através da Sua Palavra escrita, as Escrituras Sagradas?

3 - E, como o nosso corpo é o santuário deste 'RÚKHA hol-HODSHÚA' (ru-rra rol rod-shu-a), Crê que devemos apresentar-nos puros, sem as contaminações dos alimentos considerados por YAOHUH UL como imundos e sem os vícios deste mundo tais como bebidas fortes e tabaco?

4 – Crê que, o Sacrifício da cruz foi único e suficiente para remir os nossos pecados e que a única parte que nos cabe é renunciar ao mundo de pecados e aceitar Yaohushua, como o Seu Salvador?

5 – Crê que, após a morte física e espiritual de Yaohushua que se deu em uma quarta-feira, Seu YAOHUH-Abi O ressuscitou nas horas finais do Shabat hol-hodshua, o santo sábado e desde então sentou-se ao lado do ABU e vive para interceder por nós, pecadores?

6 – Crê que, segundo as palavras de Yaohushua durante o Seu ministério terrestre, a Lei, os Escritos e os Profetas, continuam mais válidos do que nunca pois a Terra ainda não passou e que isto ocorrerá somente após o Seu governo milenar e terreal?

7 – Crê que, em Seu breve retorno, Yaohushua virá ao soar do último shofar, juntamente com TODOS os remidos de todas as épocas que ressuscitam neste momento, para dar fim ao Armagedom, uma guerra literal que se dará na planície do Har-megido, em Israel, contra o povo de YAOHUH UL e a partir deste momento, os Seus anjos nos reunirá pelas nuvens do céu, levando-nos para a posse do Molkhiul (Rei) YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY (o Messias) (mol-qui-ul iau-rrú-shua hol-merrush-rrái) de Seu trono sobre a Terra, em Jerusalém?

8 – Crê na organização do Corpo de Yaohushua, o OholYaohushua e que segundo Suas próprias palavras em Mathias 16:18 este mesmo Corpo continua ativo até o fim dos séculos na forma congregacional com administração local onde um líder trienal, ou à vontade dos membros, exerce o papel de instrutor, apascentador e conselheiro e que com as suas contribuições na forma dizimal e ofertas, ajudará no crescimento da nossa Kehilah?

9 – Crê que, a única fórma de participar de Sua congregação, a Kehilah, é através da imersão total em águas, caracterizando assim, um novo nascimento físico e espiritual e que segundo lemos nas Escrituras, este ato público deve ser realizado em NOME de Yaohushua pois é a Ele que foi dada toda a autoridade por YAOHUH UL?

10 – Crê que somos um grupo de remanescentes desta Kehilah e é o seu desejo fazer parte desta congregação e tem planos de nos ajudar a crescermos, levando para outras pessoas o Yaohushua que nos salvou?

Sendo assim, passaremos agora à sua imersão onde o próprio Yaohushua estará presente, em espírito para, a partir de agora, habitar em seu coração. Amnao!

...e, eu (seu nome) na qualidade de sacerdote da Ordem de Melquisedeque, realizo a imersão da(o) nossa(o) irmã(o) (....) em NOME de Yaohushua hol-Mehushkháy (iau-rrú-shua rol-merrush-rrái). Amnao!

OBSERVAÇÕES:

& -  USE A SUA BÍBLIA!

@ - Envie-nos a sua decisão...  No fim de TODAS as DECISÕES, enviaremos um Certificado de Conclusão que pode ser impresso e colocado em uma moldura!

CYC - Congregação Yaoshoul'ita o Caminho

 

SAIR